Cenário econômico e relação com os Perfis

COMUNICAÇÃO

voltar

24 de março de 2014

Fevereiro foi um mês de recuperação em determinados aspectos da economia e de incertezas em outros. Alguns fatores contribuem para um cenário ainda incerto nos próximos meses. O início das campanhas eleitorais e a divulgação das pesquisas de intenção de votos, por exemplo, devem aumentar a volatilidade do mercado, principalmente na renda variável.

Este momento tão peculiar pode ser visto num panorama geral da economia em fevereiro e em sua relação com os resultados dos Perfis de Investimento da Faelba no mês. Neste período, o fechamento das curvas de juros trouxe um fôlego a mais aos ativos de renda fixa. No entanto, a bolsa de valores brasileira continuou decepcionando os investidores. O mercado precificou na curva de juros um maior comprometimento fiscal anunciado pelo governo, estipulando a meta fiscal do setor público em 1,9% do PIB, com contingenciamento do orçamento em R$ 44 bilhões. Por outro lado, o Copom decidiu aumentar em 0,25% a Selic em fevereiro, alinhado às expectativas de mercado, o que puxou a curva de juros para baixo. Em paralelo a isso, o crescimento da economia no 4T13 alcançou resultado acima das expectativas, com 0,7%, quando as projeções apontavam um índice de 0,2%.

Dentro deste cenário, o fechamento das curvas contribuiu para o resultado positivo do Perfil Básico, de 1,52% no mês. Mudando de “status”, as NTN-Bs – títulos do Tesouro atrelados à inflação -, apontadas as vilãs do mês de janeiro, foram as que mais agregaram valor na carteira, com o fechamento em todos os vértices.

No caso do Perfil Conservador, o mês curto trouxe um retorno de 0,76%. A estratégia desta opção de investimento tem como objetivo acompanhar o CDI, sendo beneficiada com a continuação da elevação da taxa básica de juros.

Na contramão, a Bovespa continuou decepcionando, com o Ibovespa fechando em queda de 1,1%. O desempenho da bolsa brasileira foi influenciado pelas notícias externas, com a desaceleração da economia chinesa provocando um impacto negativo nos preços das commodities e, por consequência, nas empresas exportadoras de commodities brasileiras, com destaque para a Vale. Além disso, as ingerências do governo sobre a Petrobras também contribuíram negativamente para este resultado. Apesar do resultado positivo para o PIB do 4T13 e a tentativa do governo de buscar uma meta de superávit fiscal mais realista, estes dados não colaborarão para a projeção de um cenário de aceleração de crescimento do PIB para este ano. Nesta conjuntura, o Perfil Diferenciado encerrou o mês com queda de 0,70%.

Tendo em vista este momento incerto da economia brasileira, a Faelba permanece com uma postura conservadora e atenta aos movimentos do mercado, sempre em busca das melhores oportunidades em um cenário tão adverso, considerando todos os Perfis de Investimento oferecidos aos Participantes e Assistidos.

Av. Tancredo Neves, 450 - Ed. Suarez Trade, 33º andar, sala 3302 - Caminho das Árvores - Salvador - BA. Cep: 41.820-020

Tel.: (71) 3113-6000 / Fax: (71) 3113-6049