Desempenho comprometido

COMUNICAÇÃO

voltar

02 de janeiro de 2012

A crise fiscal européia aliada às pressões inflacionárias e à trajetória descendente da taxa básica de juro comprometeram o desempenho dos fundos de pensão em 2011. A rentabilidade média da carteira de investimentos das fundações foi de 10,93%, ante meta atuarial (retorno necessário para garantir o cumprimento dos compromissos previdenciários futuros) de 12,44%, segundo levantamento da Associação Brasileira das Entidades Fechadas de Previdência Complementar (Abrapp). Apesar da busca pela diversificação, os títulos públicos atrelados à inflação, continuarão sendo considerados colchões de segurança por alguns anos. Na opinião dos especialistas do segmento, a diversificação é crucial em um cenário de queda da taxa de juros e os fundos de pensão terão que procurar ativos que atendam sua demanda, sempre equilibrando risco/retorno. Para a garantia das performances, no entanto, terão que investir em sistema de controle de risco. Nesse sentido, a Faelba se antecipou, desde o ano passado, com a implantação do sistema de controle de risco da Fundação.

Medidas Adotadas
*Implantação da área de Controles Internos/Compliance
*Treinamento na nova versão do Sistema de Riscos
*Levantamento dos principais processos da entidade por área
*Consolidação dos dados na Matriz de Riscos, por área
*Definição dos planos de ação para melhoria de controles internos
*Elaboração do Relatório de Controles Internos