Desempenho dos Ativos

COMUNICAÇÃO

voltar

13 de agosto de 2018

Apesar do elevado nível de tensão nas relações comerciais entre os EUA e o resto do mundo, sobretudo China e Europa em julho, a agenda internacional trouxe boas notícias que, embora pontuais, ajudaram a reduzir, na margem, a saída de capital dos países emergentes.

No Brasil, Geraldo Alckmin, candidato visto como mais alinhado a políticas de direita pelo mercado, fechou um acordo com um conjunto de partidos, movimento recebido com otimismo pelo mercado, o que, combinado ao cenário internacional menos adverso, levou a uma valorização substancial dos ativos brasileiros em geral.

Ao contrário dos últimos dois meses, os ativos de renda fixa apresentaram alta generalizada. Diante do cenário mais positivo, a curva de juros fechou com valorização em todos os seus vencimentos. Nesse contexto, o Perfil Básico teve rentabilidade de 0,73%, e o Perfil Conservador de 0,54%.

Os ativos de risco responderam de forma vigorosa às boas notícias nos cenários nacional e internacional. O principal índice da bolsa brasileira, o Ibovespa, fechou com alta de 8,88%, atingindo a marca de 79.220, levando-o de volta ao campo positivo no ano (3,69%). As posições da Faelba conseguiram capturar bem o movimento, e o Perfil Diferenciado fechou o mês de julho com valorização de 6,99%.