Dicas para manter sua saúde financeira em dia

COMUNICAÇÃO

voltar

18 de setembro de 2017

Lidar com dinheiro não é uma tarefa fácil para todo mundo. Muitas pessoas acabam perdendo o controle e isso, na maioria das vezes, as impede de alcançar seus sonhos financeiros, como comprar uma casa, fazer uma viagem, renovar a decoração do quarto, entre outros.

Para alcançá-los, é indispensável que você mantenha sua saúde financeira em dia. Separamos seis dicas que vão contribuir para que você tenha uma vida financeira equilibrada.

  1. Faça um bom controle do seu dinheiro

O primeiro passo para quem quer manter a boa saúde financeira é bem óbvio: fazer um bom controle do seu dinheiro. Isso significa que você precisa saber quanto ganha e quanto gasta para ajustar suas despesas às suas rendas. Com esse controle você vai descobrir se gasta mais do que ganha ou se está dentro dos limites.

Controlar suas finanças também vai ter ajudar a identificar para onde está indo seu dinheiro e se você está gastando demais com itens supérfluos.

Se você tem dificuldades para controlar suas finanças, use a tecnologia a seu favor. Você pode usar um aplicativo de controle financeiro para organizar melhor seu dinheiro.

  1. Não abuse do cartão de crédito

Falando em gastos, aí está um famoso vilão da saúde financeira. Para quem não consegue manter o controle com o cartão de crédito em mãos, a dica é deixá-lo em casa e usá-lo apenas quando for extremamente necessário. Isso vai te salvar de fazer compras por impulso. Um passo extra pode ser cancelar o cartão e fazer suas compras sempre à vista.

Passar o cartão é um tarefa bem simples, mas lembre-se de não confundir crédito com dinheiro. Cuidado para não se esquecer que terá de pagar tudo quando a fatura chegar.

  1. Mantenha o padrão de vida sempre abaixo da sua realidade financeira

Esta é uma dica que poucas pessoas seguem, mas que tem grande importância na saúde financeira de qualquer pessoa. Viver no limite do orçamento pode ser muito perigoso. Esse comportamento aumenta as chances de qualquer imprevisto provocar uma grande dor de cabeça.

O ideal é que você viva sempre com um padrão de vida menor do que o seu salário pode te proporcionar. Assim, você sempre terá uma sobra que pode ser muito bem aproveitada para fazer uma reserva financeira, seja de emergência ou seja para investir.

  1. Livre-se das dívidas

As dívidas são um problema que o brasileiro conhece muito bem. Segundo dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), divulgados neste ano, mais da metade das famílias brasileiras possui algum tipo de dívida. O fato é que ter contas atrasadas atrapalha o equilíbrio da sua saúde financeira. Por isso, é preciso se planejar para se ver livre delas o quanto antes.

Para eliminar essas pendências, é importante que você crie um plano de pagamento. Dê prioridade às dívidas com juros maiores, isso poderá diminuir seu prejuízo. Você também pode optar por começar pagando as mais baratas. Dessa forma, você se verá livre de uma dívida mais rapidamente, servindo como incentivo para pagar as que ainda faltam.

  1. Tenha uma reserva de emergência

Todos estamos sujeitos a imprevistos. Seja um problema de saúde ou a perda de bens materiais, nunca sabemos quando vamos precisar de um dinheirinho extra.

Para tornar esse processo mais tranquilo possível, é bom que você construa uma reserva de emergência para suprir necessidades não planejadas. Criar esta reserva evita que você precise fazer um empréstimo ou utilize o cheque especial, prejudicando sua saúde financeira.

  1. Faça bons investimentos

Tão importante quanto se livrar das dívidas e fazer um bom controle financeiro, é saber investir seu dinheiro. Deixar seu dinheiro parado ou guardá-lo em aplicações de baixa rentabilidade como a poupança, pode fazer com que seu dinheiro perca poder de compra, ou seja, o mesmo dinheiro vai comprar menos coisas do que antes.

Procure modalidades de investimento que valorizem seu dinheiro de verdade. Existem diversas opções disponíveis no mercado atualmente. Se você tem o perfil mais conservador e busca por tipos de investimento que sejam seguros como a poupança, você pode aplicar em títulos de Renda Fixa, como CDB (Certificado de Depósito Bancário), LCI e LCA (Letra de Crédito Imobiliário e Letra de Crédito do Agronegócio, respectivamente) e Tesouro Direto, por exemplo.

Por outro lado, se você é mais arrojado e se dispõe a correr mais riscos em troca de maiores rentabilidades, você pode optar por comprar ações ou operar contratos futuros na Bolsa de Valores.

Seguindo estas dicas você poderá entender para onde vai o seu dinheiro e como cuidar melhor dele. Adotando práticas simples – porém eficazes – é possível manter a saúde das suas finanças e estar cada vez mais próximo de alcançar seus objetivos.

Fonte: Guia Bolso